Gestão comercial: quais são as perspectivas para o futuro?

Já parou para pensar em como você está fazendo a gestão comercial da sua empresa? Quais dados está usando como base para definir suas estratégias, e quais indicadores estão ajudando você a mensurar o desempenho de seus vendedores? 

Antigamente, os profissionais não tinham outra alternativa a não ser fazer a gestão comercial manualmente. No entanto, com o avanço tecnológico, hoje podem recorrer a uma série de ferramentas para simplificar processos burocráticos, coletar informações de qualidade e, claro, melhorar as vendas.

Você está preparado para o futuro da gestão comercial? Já possui o que é necessário para manter a sua empresa altamente competitiva?

Neste post iremos abordar quais são as perspectivas para a gestão comercial no futuro, e qual é a importância de se investir em tecnologia para vender mais  produtos e tornar a sua organização um verdadeiro destaque. 

Esperamos que goste. Boa leitura!

Gestão comercial: perspectivas para o futuro

A gestão comercial é uma atividade onde o principal objetivo é controlar o setor de vendas. Abrange serviços de planejamento e gestão de pessoas, inclusive avaliação de resultados e controle de processos.

Nos últimos anos, percebemos que o comportamento do consumidor mudou drasticamente devido ao acesso à internet. Se antes a pessoa precisava ir até uma loja física para pesquisar preços e adquirir um determinado produto, agora só precisa realizar uma busca no Google ou baixar um aplicativo para acessar um leque de ofertas.

Mesmo antes de adentrarmos o cenário pandêmico, as plataformas de e-commerce, o marketplace e as redes sociais já eram utilizadas como canais de vendas para fazer negociações. E, ainda que não seja mais novidade, a transformação digital continua assombrando alguns profissionais de gestão.

Na gestão comercial, o gestor é responsável por elaborar planos, instruir a equipe e definir as melhores estratégias para conquistar o consumidor cada vez mais exigente. A questão é que, para ter sucesso nas tarefas, ele precisa realizar uma série de estudos para conhecer seu público-alvo. 

Não só isso, monitorar o desempenho dos vendedores, analisar os resultados e superar os principais desafios da Indústria 4.0, que são: 

  • Garantir a segurança dos dados;
  • Treinar as pessoas para que utilizem as ferramentas tecnológicas corretamente;
  • Integrar os departamentos;
  • Simplificar a comunicação interna;
  • Criar uma cultura organizacional voltada para a resolução das adversidades. 

Ainda segundo uma pesquisa realizada pela Ebit|Nilson, maior plataforma de opinião de consumidores do Brasil, a perspectiva para 2021 é que o e-commerce brasileiro cresça 26%. Para a CNI (Confederação Nacional da Indústria), o PIB Industrial deve crescer 4,3% até final do ano, puxado pela indústria de transformação.

Para que as empresas de todos os setores possam aproveitar as oportunidades e ganhar com esse crescimento, será necessário que os profissionais de gestão estejam dispostos a abandonar os métodos antigos de gerenciamento. 

Ou seja, precisam investir em novas tecnologias para acelerar processos, melhorar o atendimento ao público e otimizar a tomada de decisão. Porque do contrário, pode ficar difícil superar a concorrência. 

Qual a importância de investir em tecnologia? 

Já sentiu que a sua indústria não está conseguindo ter bons resultados nas vendas? Que o setor comercial não está com as estratégias bem alinhadas? Que você não consegue ter controle sobre os processos, nem sobre as pessoas? Ou, que os vendedores não estão apresentando um desempenho satisfatório? 

Você pode não acreditar, mas a ausência da tecnologia pode ser a principal causa desses problemas. 

Hoje, a automação e a inteligência artificial são peças-chaves para as empresas que querem sobressair. Isso porque ao otimizar processos, integrar setores e simplificar a comunicação interna, podem adquirir mais agilidade e conhecimento. E, com isso, melhorar a gestão sobre os negócios e sobre o time comercial. 

Também podem aumentar a qualidade na tomada de decisão e direcionar as estratégias e os recursos de forma mais inteligente, uma vez que conseguem recorrer a indicadores de desempenho e relatórios de qualidade, em tempo real.

Sem o apoio de uma ferramenta tecnológica, como isso é possível? Simplesmente não é…

Os gestores tendem a ficar perdidos no meio de tantas tarefas manuais e burocráticas, e o resultado disso não é outro senão a falta de tempo para fazerem seus negócios alavancarem.

De acordo com a Serasa Experian, marca brasileira de análises e informações para decisões de crédito e apoio a negócios, foram abertas 3,3 milhões de novas empresas em 2020. O que representa um crescimento de 8,7% quando comparado a 2019. 

Desse número, 79% são microempreendedores individuais. O ramo da alimentação assumiu a primeira colocação, representando 9,7% do total de empreendimentos abertos. Depois veio o setor de confecções com 6,2% do total, e em seguida o setor de reparos e manutenção, com 6,1%.

Com a retomada da economia e com o avanço da vacinação, a expectativa é de que o mercado tenha cada vez mais novas empresas, e isso fará crescer a competitividade. Isso é motivo de preocupação? Não para as indústrias preparadas. 

As empresas que fizerem uso da tecnologia terão mais chances de sair na frente, conquistar o consumidor e aumentar os lucros. Afinal, os processos serão mais rápidos, o atendimento será exclusivo e as ações serão direcionadas com mais assertividade.  

Certamente, nenhuma indústria quer ficar obsoleta e perder competitividade, concorda? E até agora não existe melhor forma de conseguir isso se não com o apoio das ferramentas certas.  

Se você ainda não possui uma ferramenta capaz de ajudar na gestão comercial, sem pânico. A sua equipe pode começar a vender com excelência agora mesmo. É só agendar uma demonstração gratuita da Solução Inteligência de Negócio da Sellentt. 

Tags:, , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *